“E foi Jabez mais ilustre do que seus irmãos; e sua mãe deu-lhe o nome de Jabez, dizendo: Porquanto com dores o dei à luz; Porque Jabez invocou o Deus de Israel, dizendo: Se me abençoares muitíssimo, e meus termos ampliares, e a tua mão for comigo, e fizeres que do mal não seja afligido! E Deus lhe concedeu o que lhe tinha pedido” (I Crônicas 4:9-10).

Quando meditamos na Palavra do Senhor em Crônicas, podemos observar uma lista enorme da genealogia dos povos israelitas, porém em I Crônicas 4, a partir do versículo 9 algo saiu do contexto, ou seja, um nome sobressaiu dos demais e nos quer mostrar que merece um destaque muito especial.
Jabez era diferente e mais honrado que seus irmãos, pois a Sagrada Escritura o cita como ilustre.
Também se observa que desde seu nascimento foi com muito sofrimento, sendo que sua mãe o teve com muitas dores, quem sabe o que ela passou para que ele viesse ao mundo cumprir o que já era pré-determinado.
Assim como a tempestade dá lugar ao sol, também uma noite de choro precede a manhã de alegria. Para se colher a alegria, muitas vezes é necessário semear as lágrimas.
Por isso Jabez, cujo objetivo foi tão marcante, seu nome tão memorável, foi um homem de oração.
Na sua oração, Jabez focalizou unicamente o alvo, ou seja, Deus onipotente, onisciente e onipresente.
Com certeza em algum propósito específico nesta natureza e devido à necessidade Jabes orou fazendo seus pedidos a Deus.
Analisando a oração e a coerência de seus pedidos quando Jabes invocou a Deus de Israel a benção em sua missão:
1) – “Se me abençoares muitíssimo…”. – naquele momento Jabes sabia de suas limitações como ser humano e se tivesse que ir para a batalha para enfrentar um povo tão vil, naturalmente necessitaria das bênçãos divinais para conquistar a vitória”.
2) – “…e meus termos ampliares…”. – era comum quando acontecia uma batalha, os guerreiros ficarem com os despojos após a vitória e naquele caso específico no momento da história Deus estaria partilhando as terras conquistadas aos lideres israelitas até mesmo como forma de recompensa.
3) – “…e a tua mão for comigo…”.este pedido demonstra que aumentaria a confiança em Deus, pois com a mão do Senhor estendida não lhe faltaria fé para prosseguir a jornada e a vitória estaria garantida.
4) – “… e fizeres que do mal não seja afligido!” – aquele povo adversário era capaz de todas as maldades possíveis, não somente na parte física, mas estaria enfrentando o sobrenatural, bem como todo tipo de maldições satânicas e era necessária a proteção de Deus para protege-lo de todo o mal.
Jabez orou e foi atendido, pois Deus o contemplou e atendeu todos os seus pedidos, ele teve convicção e soube pedir o que desejava para aquele momento.

QUE DEUS OS ABENÇOE….