“É como se um homem, partindo para fora da terra, deixasse a sua casa e desse autoridade aos seus servos, e a cada um a sua obra, e mandasse ao porteiro que vigiasse.”(Marcos 13:34)

A causa de Deus prosperaria muito mais se, no tocante aos homens, estas duas coisas ficassem bem firmes em seus corações.
A primeira é que, no Reino de Deus, todos têm autoridade. “E desse autoridade aos seus servos.” Cristo está comparando o Reino de Deus com uma fazenda, um lugar com muito trabalho a ser realizado. O proprietário se ausenta, não sem dar autoridade a seus servos. Precisavam atuar em seu nome, por Ele. Lembra a afirmação de Cristo: “Eis que vos dou poder…”
Se está investido no trabalho de Cristo, nunca se esqueça da autoridade que lhe tem dado. Tem procuração. É posto a atuar em seu nome. Não deve temer. Não deve retroceder. Não deve se diminuir. Ele lhe deu autoridade.
A segunda coisa que deve ficar firme é que todos têm responsabilidades. “E a cada um a sua obra.” Cristo delimitou e definiu tarefas para cada um de nós. Cada um tem algo por fazer e o Senhor espera que cumpra com este algo. Os dons que temos nos põem na vida, a sua consciência, tal realidade. Há dons de Deus em nossas vidas e estes são a delimitação e definição de nossas tarefas. Tem buscado investigar que dons de Deus há em sua vida? O trabalho realizado nos dons nos faz felizes, eficazes e fieis.
Duas verdades que jamais devem ser esquecidas, sob pena de todo o nosso trabalho para Deus pode ser prejudicado.

QUE DEUS OS ABENÇOE…

Irmão: Luciano Barros